Bem-Vindo à Página Oficial da
Liga dos Combatentes


 

 








 

 

 

 

 








 
 

 

 

  Notícias

Inauguração do monumento aos combatentes da Vila de Alcáçovas


20.10.2018 -  No passado dia 20 de outubro, foi inaugurado o Monumento de Homenagem aos Combatentes da vila de Alcáçovas, que coincidiu com o XIV almoço dos Combatentes do Concelho de Viana do Alentejo. As cerimónias alusivas ao evento iniciaram-se com a celebração de uma Missa de Sufrágio pelos Combatentes falecidos, na Igreja Paroquial, celebrada pelo Padre Abraão, após o que teve lugar a inauguração do Monumento no Jardim Público com a presença de várias entidades das quais destacamos, o Presidente e Vice-presidente da Câmara Municipal de Viana do Alentejo, respetivamante, Dr. Bernardino Bengalinha Pinto e Dr. João Merca Pereira; Presidente da Junta de Freguesia de Alcáçovas, Sr. Manuel Calado; Diretor da Formação do Exército, Major-general José Reis; comandantes da GNR e dos Bombeiros Voluntários de Viana do Alentejo, vereadores e representantes de várias associações.


A Liga dos Combatentes esteve representada pelo Presidente da Direção Central General Chito Rodrigues, que presidiu à cerimónia, acompanhado pelo Vogal Arqt.º Eduardo Varandas, autor do projeto do Monumento, bem como pelo Presidente do Núcleo de Évora, Sargento-ajudante Paulo Pagará e por uma delegação do Núcleo de Reguengos de Monsaraz. O evento contou também com a adesão de muitos Combatentes, suas famílias e público em geral.

Depois do descerramento do pano com as cores da bandeira nacional, que cobria o Monumento, procedeu-se à bênção pelo Capelão do Exército, Coronel Matos, tendo de seguida usado da palavra, o Presidente da Junta de Freguesia de Alcáçovas, o representante da Comissão Organizadora da Construção do Monumento, Sr. José Tomás Grou, o Presidente da Edilidade Vianense, o Presidente do Núcleo de Évora da LC e finalmente o Presidente da Liga dos Combatentes.

O Presidente da Junta de Freguesia de Alcáçovas, Combatente no teatro de operações da Guiné, e num discurso muito emocionado, agradeceu à Comissão responsável pela sua construção o empenhamento e dedicação demonstrados em todo o processo que culminou com aquela inauguração, realçando que aquele dia ficará para sempre na memória dos alcaçovenses, terminando por lembrar às novas gerações o dever de honrar o valor e a dignidade daquele Monumento.

O Presidente da Comissão Organizadora, Combatente no teatro de operações de Angola, numa curta mas emocionada intervenção, agradeceu aos patrocinadores o apoio que tornou possível a concretização daquele sonho, frisando que o Monumento irá perpetuar a memória de todos os Combatentes que “lá ficaram”.

O Presidente do Município realçou o simbolismo daquele Monumento erigido em memória daqueles que cumpriram o seu dever, citando os nomes de cada um dos naturais de Alcáçovas, que caíram ao serviço da Pátria e que ali se encontram inscritos, enaltecendo também a parceria estabelecida entre Câmara Municipal, a Liga dos Combatentes (Núcleo de Évora e Delegação de Alcáçovas) e a Junta de Freguesia, para o cumprimento do objetivo pretendido.

O Presidente do Núcleo de Évora, da LC, realçou que aquele gesto simbolizava o tributo merecido aos Combatentes que um dia foram arrancados da sua terra natal para defender os interesses do País.

Por último o Presidente da Liga dos Combatentes, começou por realçar o facto de Alcáçovas se juntar a mais de 500 lugares onde os portugueses decidiram colocar padrões evocando os momentos difíceis porque passaram, sendo que da sua totalidade, 102 dizem respeito a monumentos da Grande Guerra e 350 à Guerra do Ultramar. Afirmando que relativamente aos da Grande Guerra a decisão partiu de cima para baixo, ao contrário dos referentes à Guerra do Ultramar, cuja iniciativa tem partido das bases, isto é, das populações locais com o apoio da Liga dos Combatentes e das Autarquias. Referiu-se também ao passado histórico de Alcáçovas, mencionando o Tratado de Paz, assinado, no século XV, entre D. Afonso V e os reis Católicos, para salientar a sua importância no reconhecimento dos direitos de soberania sobre os territórios em disputa entre as duas casas reais. Terminou a sua intervenção reafirmando que a Liga dos Combatentes como instituição que promove os valores e a prática da solidariedade tem desenvolvido, ultimamente, algumas iniciativas em prol do apoio aos Combatentes e nesse sentido elaborou e enviou para os vários órgãos do poder uma proposta que visa reformular a Lei 3/2009 para que seja feita justiça aos que em determinado período das suas vidas foram obrigados a defender os superiores interesses de Portugal.

Terminadas as intervenções foram colocadas coroas de flores junto à base do Monumento, seguidas das Honras Militares, com o toque de homenagem aos mortos ao serviço da Pátria, uma prece religiosa e o toque de alvorada.

Finalmente foi entoado o Hino da Liga dos Combatentes, dando-se assim por terminadas as cerimónias protocolares. Seguidamente teve lugar um almoço de confraternização, num restaurante local, em que se assinalou também o XIV encontro dos Combatentes do Concelho de Viana do Alentejo. As cerimónias militares foram prestadas por uma Força Militar do Regimento de Artilharia 5, sediado em Vendas Novas.

Uma palavra de reconhecimento merece também o Sargento – mor Avelino Seco, Vice-presidente do Núcleo de Évora, pelo desempenho como speaker, revelando grande profissionalismo e eficácia nessa função.