Bem-Vindo à Página Oficial da
Liga dos Combatentes


 

 








 

 

 

 

 








 
 

 

 

  Notícias

COMUNICADO


26.01.2019 - Acabados de ser surpreendidos com a nefasta notícia da morte do Comendador Arruda, ilustre, lutador e amigo, Presidente da ADFA, em meu nome pessoal e da Liga dos Combatentes apresentamos a ADFA e todos os seus membros o nosso mais profundo sentimento de solidariedade neste tão triste e inesperado momento.Apresentamos a sua esposa e toda a família os nossos sentimentos de pesar. Recordaremos para sempre a sua força e determinação nos anos passados em comum na luta pela mesma causa: a dignidade dos combatentes e famílias. TGen Chito Rodrigues





José Eduardo Gaspar Arruda
nasceu em Movene (Moçambique), em 10 de Março de 1949.

Realizou o Curso Comercial na Escola Comercial de Lourenço Marques, actual Maputo capital da República de Moçambique (ex-colónia portuguesa), cidade onde viria a integrar a Equipa de Basquetebol, no Grupo Desportivo, onde desenvolveu uma promissora carreira de atleta, até 1971, altura em que foi obrigado a integrar o serviço militar obrigatório, até 1974.

Foi ferido em 1971, no decorrer da Guerra Colonial que se desenrolou entre 1961-1975, acidente do qual resultou a cegueira e a amputação do membro superior esquerdo.

Em 1973, durante a sua permanência no Anexo do Hospital Militar Principal, participou no movimento de apoio à criação do estatuto do deficiente das Forças Armadas, tendo posteriormente, em 1974, participado na 1ª Assembleia Geral da recente criada Associação dos Deficientes das Forças Armadas – ADFA, que surgiu na sequência da Revolução do 25 de Abril e que restituiu a Portugal a democracia, promoveu a descolonização e criou as bases do desenvolvimento do país à sua integração na União Europeia.

Fez a sua reabilitação na Fundação Martin Sain onde aprendeu competências de autonomia, apoio psicológico e social, referências fundamentais que moldaram a sua consciência e formação social, política e cívica, e marcaram de forma indelével todo o seu percurso e atitude como homem, como cidadão, como deficiente e como dirigente associativo.

Retornou a Moçambique, tendo regressado definitivamente a Portugal no início dos anos 80, período a partir do qual se envolveu terminantemente no movimento das pessoas com deficiência, nomeadamente na luta pelos direitos humanos, em organizações como a ADFA, a Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal – ACAPO, a Federação de Desporto para Deficientes, a Associação de Apoio aos ex-Combatentes Vítimas de Stress de Guerra – APOIAR e na Associação de Jovens Deficientes – AJOV. O seu percurso por estas instituições pautou-se pelo exercício da cidadania, na promoção da inclusão e justiça social das pessoas com deficiência.

No âmbito do seu percurso por estas instituições destacam-se as seguintes acções:

Entre Junho de 1981 e 1986 integrou Direcção Nacional da ADFA;

Em 1981 representou a ADFA na Comissão Nacional para o Ano Internacional das Pessoas com Deficiência declarado pela ONU.

Entre 1982 e 1983 presidiu a Comissão Instaladora da Federação de Desporto para Deficientes;
De 1987 a 1995 preside a Direcção Nacional da ADFA;

Entre 1989 e 1994 foi Presidente da Comissão Permanente para os Assuntos Europeus – CPAE, da Federação Mundial de Antigos Combatentes e Vítimas de Guerra – FMAC;

Em 1990 participou na organização da 1ª Conferência de Antigos Combatentes de Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e Portugal, que se realizou em Lisboa, incrementando uma política de cooperação;

Em 1991, enquanto Presidente da ADFA, a Associação dos Deficientes das Forças Armadas foi condecorada pela Cruz Vermelha Portuguesa com as suas, Cruz Vermelha de Benemerência e Cruz Vermelha de Mérito, pelo importante papel desempenhado na defesa, na reabilitação e na reintegração das vítimas de guerra;

Em 1994 integrou o Comité Preparatório da 6ª Conferência sobre Legislação, da FMAC, realizada em Lisboa;

De 1986 a 1994 participou em dois ciclos olímpicos, como Presidente da Mesa da Assembleia da Federação de Desporto para Deficientes;

Entre 1999 e 2004 presidiu aos destinos da ACAPO, tendo impulsionado novas medidas que foram determinantes para o terminus do sorteio, de cariz caritativo, que durante muitos anos predominou nesta organização, permitindo a assunção da integração de políticas sociais, aspecto essencial na defesa dos Direitos Humanos das pessoas com deficiência em Portugal;

Em 2004 foi distinguido pelo Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio, com a Ordem de Mérito, Grau de Comendador, pelo trabalho desenvolvido no âmbito da defesa dos direitos das pessoas com deficiência, na sequência do Ano Europeu das Pessoas com Deficiência;

Entre 2005 e 2007 foi Presidente da Mesa da Assembleia Geral da APOIAR;

Entre 2007 e 2015 presidiu novamente aos destinos da Direcção Nacional da ADFA, com a sua equipa dos Órgãos Sociais Nacionais, desenvolvendo um trabalho árduo da defesa dos direitos dos deficientes militares, tendo recuperado direitos anteriormente perdidos na área da assistência médica e medicamentosa e na isenção de impostos, tendo conseguido que as pensões dos deficientes militares fossem consideradas como indemnização;

Em 2008, enquanto Presidente da ADFA, a Associação dos Deficientes das Forças Armadas foi condecorada pelo Presidente da República, Professor Aníbal Cavaco Silva, como membro da Ordem da Liberdade, pelos relevantes serviços prestados “na permanente defesa dos valores da civilização, em prol da dignificação do ser humano, da justiça social e da promoção da liberdade”, tendo também afirmado que “a dívida de gratidão e o preito de homenagem para aqueles que ficaram deficientes ao serviço da nação impõe prioridade no tratamento que lhe deve ser dispensado”;

Foi agraciado, na 26ª Assembleia Geral de 19-23 outubro de 2009, com a amedalha de prata da FMAC pelos 20 anos de serviço da paz e cooperação internacional;

Coordena desde 2011 o Grupo de Trabalho da Europa do Sul, que integra os seguintes países: Albânia, Bósnia-Herzegovina; Bulgária, Croácia, Chipre, Eslovénia, Espanha, Grécia, Israel, Itália, Kosovo, Macedónia, Montenegro, Palestina, Portugal, Sérvia, e Turquia (22ª CPAE, realizada em Kiev, na Ucrânia, de 26 a 28 de maio 2011);

Em 14 de maio de 2014 foi condecorado a medalha da Defesa Nacional pelo Ministro da Defesa Nacional, Dr. Aguiar Branco.
No período de 1981 a 2015 manteve-se sempre ligado às actividades internas da ADFA e acompanhou e participou em diversas ações desenvolvidas pela FMAC.

Em 24 de fevereiro de 2016 foi agraciado por Sua Excelência o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, com o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.