Bem-Vindo à Página Oficial da
Liga dos Combatentes


 

 








 

 

 

 

 








 
 

 

 

  Notícias

Dia das Operações de Paz e Humanitárias (Capacetes Azuis); Inauguração de Monumento/Memorial às Operações de Paz e Humanitárias – Museu do Combatente/Forte do Bom Sucesso.


29.05.2019 - Bem cedo, numa manhã já de muito calor, reuniram-se em frente ao Museu do Combatente alunos de escolas militares e civis para assistirem às cerimónias do dia 29 de Maio, dedicado às Operações de Paz e Humanitárias, que a Liga dos Combatentes comemora desde 2004 neste local. Este ano, e como aconteceu já no ano transato, com o apoio do CEMGFA, S. Exa. o Almirante Silva Ribeiro, e os Generais Chefes de Estado-Maior da Armada, do Exército e da Força Aérea, bem como o General Comandante da GNR e Director Nacional da PSP.


Presentes a Secretária de Estado da Defesa Nacional Professora Doutora Ana Santos Pinto, a Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna Dr.ª Isabel Oneto, o  Presidente do Grupo Parlamentar do PSD Dr. Fernando Negrão, o Representante da República para a Região Autónoma da Madeira Juiz Conselheiro Ireneu Cabral Barreto, o Presidente da Comissão Permanente da Assembleia da AR da Defesa Nacional Dr. Marco António Costa, vários Deputados da Assembleia da Republica, o Presidente da Junta de Freguesia de Belém Dr. Fernando Rosa, o Almirante Chefe de Estado Maior da Armada António Mendes Calado, General Chefe de Estado Maior do Exército General José Nunes da Fonseca, General Chefe do Estado Maior da Força Aérea General Manuel Nunes Borrego, Diretor Nacional da PSP Superintendente-chefe Luís Farinha, 2.º Comandante da GNR General Clero, em representação do Comandante Geral,  Almirantes, Generais e Diretores Gerais, Presidentes de Associações de Combatentes e de Núcleos da Liga dos Combatentes, público em geral.
                                                   
Após a receção às Altas Entidades e revista às forças em parada pelo Almirante Silva Ribeiro, o Presidente da Liga dos Combatentes  proferiu uma alocução e seguiram-se  condecorações ao Presidente do Núcleo da Liga dos Combatentes de Ribeirão, Medalha da Defesa Nacional 4.º Classe; ao  Presidente da Liga dos Combatentes Tenente-general Chito Rodrigues pelo Chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas com a medalha Cruz de S. Jorge, Primeira Classe, pelas relevantes qualidades pessoais, contributo para relembrar o esforço e o sacrifício dos militares caídos em combate, pelo seu trabalho em robustecer as relações institucionais da Liga dos Combatentes com as Forças Armadas, contribuindo significativamente para a eficiência, prestígio e cumprimento da missão do Estado-Maior General das Forças Armadas Portuguesas, e outros militares dos ramos das Forças Armadas e de Segurança.

Na grande cerimónia militar participaram, e a iniciar, um grupo de combatentes do Ultramar com os seus guiões, da Liga dos Combatentes e outras Associações, bem como um grupo de paraquedistas e boinas azuis do Btm4 e Ctm5.

Logo a seguir o Major Cristiano Almeida da Força Aérea à frente do bloco de Estandartes Nacionais, sendo a escolta de honra a este bloco constituída por uma esquadrilha do Centro de Formação da Força Aérea comandada pelo Capitão Técnico de Abastecimento Hélder Costa.

O desfile das forças foi comandado pelo Tenente-coronel Técnico de Operações e Conduta de Interceção Eduardo da Silva, desfilando seguidamente:

  • Uma companhia da marinha comandada pelo 1º Tenente Fuzileiro Tiago Silva e Maia, e constituída por militares de unidades navais.
  • Uma companhia do exército comandada pelo Capitão de Infantaria Paraquedista Rui Jorge Butelhe Anjos, a 2 pelotões de militares que integraram missões na República Centro Africana.
  • Uma esquadrilha da Força Aérea comandada pelo Capitão Polícia Aérea Pedro Dinis Cadente, constituída por militares que estiveram nas operações MINUSMA e MINUSCA e um pelotão de militares do Centro de Formação da Força Aérea.
  • A companhia da GNR foi comandada pelo Capitão de Infantaria Daniel José Bessa Jorge e constituída por militares que integraram missões das Nações Unidas e Timor Leste.
  • Uma companhia da PSP comandada pelo Comissário Paulo Jorge Madaleno com elementos que desde 1992 integraram missões das Organizações das Nações Unidas em todo o mundo, desde a ex-Jugoslávia a Timor.
  • Desfilou também a Banda da Força Aérea.


Foi prestada honra aos caídos em combate com deposição de coroas de flores pelo Presidente da Liga dos Combatentes e Almirante Silva Ribeiro acompanhado pelos Chefes dos Ramos das Forças Armadas e de Segurança presentes.  O terno de clarins da Fanfarra da Força Aérea tocou o Toque de Silêncio, tendo-se assistido ao sobrevoo de homenagem por F16 das esquadrilhas 201 e 301 sediadas na Base Aérea n.º 5 em Monte Real, à oração pelo Coronel Capelão Joaquim Martins e ao Toque de Alvorada.

Dirigindo-se os presentes para o local onde foi erigido o Monumento (Memorial) às Operações de Paz e Humanitárias, ao qual, segundo modelo idealizado pelo Presidente da Liga dos Combatentes foi dada forma pelo Arquiteto Eduardo Varandas, Vogal da Liga dos Combatentes, tendo a construção sido da responsabilidade da Ecobuild supervisionada pelo Eng.º Esquível, foi o mesmo inaugurado pelo Almirante CEMGFA acompanhado pelas Secretárias de Estado da Defesa Nacional e da Administração Interna, e pelo Presidente da Liga dos Combatente, TGen. Joaquim Chito Rodrigues, tendo sido benzido pelo Coronel Capelão Joaquim Martins.

No final dirigiram-se para o Museu do Combatente, onde na parada  eram aguardados por alunos do Agrupamento de Escolas de Cascais e  do Colégio D. Nuno Álvares Pereira da  Casa Pia que apresentaram trabalhos criativos sobre as Operações de Paz e Humanitárias – Capacetes Azuis também presentes, do BTm4 e CTm5, e após entrarem na Sala Aljubarrota teve lugar um pequeno concerto, com apresentação de duas composições inéditas e compostas expressamente para esta ocasião pelo Major Agostinho Correia, diretor da Tuna da Acsa-Usila " Canção aos Capacetes Azuis" e de Daniel Schwetz "Hino aos Capacetes Azuis".

O Marketing do Museu do Combatente "tinha desafiado" no princípio do ano o Major Agostinho Correia e o compositor e professor Daniel Schwetz para comporem duas músicas únicas até agora em Portugal de homenagem às Operações de Paz e Humanitárias, e a Tuna da Acsa-Usila, deu voz e som à "Canção aos Capacetes Azuis" do Major Correia interpretando também e do mesmo Major "Povo Querido, Pátria Amada", lembrando os combatentes do Ultramar, e um arranjo para a Tuna do fado de Tristão da Silva, "Maria da Paz" , lembrando a Grande Guerra .

Daniel Schwetz e o seu trio, composto por piano, o próprio, acordéon Pedro Santos, contrabaixo e voz, Sofia Neide (solista da banda da força aérea), participou com um " Hino aos Capacetes Azuis" , música intercalada com a recitação do poema "Companheira" do TGen. Joaquim Chito Rodrigues, Presidente da Liga dos Combatentes, aos combatentes das Operações de Paz e Humanitárias.

O Presidente da Liga dos Combatentes entregou aos dois grupos Diplomas de Apreço pela sua participação no dia, tendo de seguida apresentado as exposições presentes na sala, evocando a temática do dia, uma sobre as Forças Nacionais Destacadas até à data em 2019, elaborada por Isabel Martins do marketing do Museu do Combatente, outra do pintor Domingos Camponez a quem o Presidente da Liga dos Combatentes fez sócio Benemérito da Liga dos Combatentes, e os trabalhos dos alunos, tendo chamado o  grupo de alunos da Casa Pia que apresentaram uma escultura criativa sobre as Operações de Paz. Os alunos de Cascais por motivo de aulas da parte da tarde e testes já se tinham retirado, contudo foram mencionados neste agradecimento onde também o TGen. Chito Rodrigues salientou o trabalho de Isabel Martins do Marketing do Museu do Combatente que pensou, elaborou e concretizou o programa cultural a que tinham acabado de assistir.

Deu-se início ao lançamento do livro “A Liga dos Combatentes ao Serviço de Portugal”, da autoria do Vice-Presidente da Liga dos Combatentes Major General Fernando Aguda e do Vogal da Direção Central Carlos Chambel, tendo ambos proferido alocuções sobre a temática do livro, tendo o Coronel Chambel feito um agradecimento ao seu Primeiro Comandante no BTm4, General José Castro presente, pois foram os primeiros portugueses a incorporar Operações de Paz e Humanitárias com o Ctm5.

Não faltou a oferta de um livro pelo Presidente da Liga dos Combatentes ao Chefe de Estado-Maior-General das Forças Armadas que agradeceu ao TGen. Chito Rodrigues o seu trabalho em prol dos Combatentes e divulgação e relação de proximidade com as Forças Armadas e de Segurança.

isabel martins marketing museu do combatente

Discurso do Presidente da Liga dos Combatentes